Caiu o invicto! Bandeirante joga mal, perde a primeira no ano em Osvaldo Cruz e vai pro "tudo ou nada" na Pedronera quarta!


Uma hora esse momento iria chegar. Mas não esperava que ia chegar logo na hora mais importante do campeonato. O Bandeirante foi a Osvaldo Cruz enfrentar o time da casa pelo primeiro jogo das quartas do Paulistão Sub-23. O Osvaldo Cruz já tinha mostrado que não seria um adversário fácil de bater, afinal eliminou o Independente de Limeira em pleno Agostinho Prada em Limeira. 

Após a vitória sobre o XV de Jaú, o técnico André Alves manteve o mesmo time da vitória contra o time jauense e contou com a volta de Iury e Danilinho (Tatá ainda estava machucado e provavelmente segue sendo dúvida pra quarta). O jogo começou com ambos os times atacando e os dois perderam chances uma atrás da outra.

Um detalhe interessante é que apesar do zero no placar, o Osvaldo Cruz teve suas melhores chances no primeiro tempo pelo lado esquerdo do Bandeirante com os trocentos escanteios cobrados pelo camisa 10 Hiago e o BEC teve suas melhores chances no lado esquerdo do Azulão com as chegadas de Luciano Vovô e Vitinho. Até aí, tudo bem.

Estava indo tudo bem no jogo até a arbitragem regida pelo senhor Jefferson Dutra Girotto (que já tinha prejudicado o Bandeirante no jogo contra o América) começar mais uma vez a aparecer mais que os jogadores e a cometer erros inacreditáveis como foi o pênalti ignorado em cima do Flávio e o chute CRIMINOSO de pé alto do Lucas Porfírio em cima do rosto do Kitinho em que o juiz conseguiu a brilhante façanha de dar cartão amarelo numa jogada que é claramente pra vermelho. Inaceitável, simplesmente inaceitável que pra piorar, certos torcedores do Osvaldo Cruz ainda tem a cara de pau de dizer que foi nada, que foi jogada de contato, que é jogada raiz, que o Kitinho simulou... 

Se é o contrário, é eles que pediriam a expulsão do bandeirantino e o juiz iria expulsar o jogador do Bandeirante. Se ver o lance inteiro, dá muito pra ver que a bola foi cabeceada pelo Kitinho e depois o Lucas Porfírio dá a cravada da chuteira no rosto do jogador bandeirantino. Tudo isso por causa de um juiz que não sabe nem o que tava fazendo no estádio Breno Ribeiro do Val. 

No segundo tempo, os dois times até voltam a jogar no mesmo ritmo e na mesma intensidade. Mas aí o Osvaldo Cruz cresce no jogo com duas chegadas de Hiago e a defesa do Bandeirante começa a ficar exposta. Na primeira chegada, Hiago recebe de Maranhão e obriga Barbato a fazer uma grande defesa pra escanteio. Agora na segunda, o time do Bandeirante tava todo no ataque quando Maranhão rouba a bola, passa pra Mosquito que lança pro mesmo Hiago que pegou a defesa bandeirantina de forma desprevenida e tinha um buraco imenso na área entre o camisa 10 do Azulão e Barbato (que nunca tinha acontecido isso no campeonato todo já que quase todos os gols que o BEC tinha tomado no campeonato foram de bola parada). Frente a frente, Hiago foi feliz na frente do goleiro do Leão da Noroeste e chutou no canto direito para fazer 1 a 0. Um enorme balde de água fria para o time de Birigui.

Após isso o time da casa tentou administrar o jogo povoando o meio-campo com 5 jogadores enquanto o Bandeirante sentiu o gol e não conseguiu melhorar. Inclusive dá pra dizer que hoje o time sentiu muito mais falta do Tatá que nos jogos contra o XV de Jaú. Aos 22 minutos, o Kitinho que tinha tomado o chute no rosto do primeiro tempo teve uma chance de ouro pra empatar o jogo, recebeu na pequena área, quase sem goleiro mas perde um gol incrível ao chutar errado a bola. Foi a pá de cal do jogo. 

Após isso, o Osvaldo Cruz cada vez mais se fechou mesmo com a entrada do grande atacante (só que não é o mesmo) Lukaku, enquanto o técnico André Alves botou João Vitor, Danilinho, Favela e Fábio Júnior. Mas nenhuma delas surtiu efeito porquê justamente já era tarde demais pra mudar alguma coisa com o placar atrás e sem a menor calma. Dessas aí, as de Danilinho e João Vitor até eu colocaria, mas já colocaria no intervalo e eu botaria o Agnaldo em vez do Favela. 

No fim do jogo, o mesmo Kitinho deu um carrinho forte num jogador do Osvaldo Cruz e aí foi a vez do time da casa pedir expulsão pela entrada que era pra vermelho. Mas se no chute do rosto o juiz que já tinha feito muita bobagem não iria expulsar o Lucas Porfírio, era óbvio que o árbitro não iria expulsar o Kitinho. Ele seguiu o critério...ou a falta de critério porquê o certo era expulsar os dois. Veio o apito final e o jogo acabou em confusão que infelizmente não era pro Bandeirante entrar na pilha igual não caiu na pilha do XV de Jaú. A invencibilidade tinha caído logo no momento que não era pra cair a racha.

Pois bem, agora é levantar a cabeça, ver o que deu errado, prevenir pra não ter mais erros e principalmente, ter muita concentração porquê ainda uma vitória simples por 1 a 0 (devolver o placar) na Pedronera ainda classifica o Bandeirante por causa da melhor campanha. Mas agora não pode mais empatar, senão o sonho acaba até antes mesmo da fase decisiva do acesso na chance mais fácil em anos pro BEC finalmente sumir desse martírio de dez anos chamado Bezinha.

Quarta-feira tem que ter, existir e dar respostas. Nada está definido, pés no chão sempre. Pra cima deles Leão! Reage Bandeirante!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivos para achar que Bandeirante x Penapolense é um clássico maior do que muitos acreditam não ser.

Não tá morto quem peleia! Bandeirante joga mal, perde pro Grêmio Prudente no Prudentão e outra vez apostará na Pedronera para conseguir o acesso!