Histórico! Bandeirante trucida o Araçatuba de forma impiedosa no Dérbi Noroestino Parte 2 e impõe maior humilhação da AEA em toda sua história!


É impossível não entender o resultado e o jogo dessa rodada sem pôr num contexto o pré-jogo. O Bandeirante já estava classificado desde domingo passado, sem nenhuma obrigação exceto buscar o primeiro no geral enquanto o Araçatuba precisava vencer o Bandeirante no seu último jogo e contar com uma enorme combinação de resultados pra conseguir a classificação como um dos melhores terceiros colocados, dentre eles uma vitória do Bandeirante contra o América na última rodada.

Chega a ser vergonhoso que numa quarta divisão do futebol de São Paulo, alguns "animais" da Piratas Canarinhos tenham o ar da graça e que de forma covarde, atacaram o ônibus do Bandeirante que recém tinha recém chegado no Adhemarzão. Pedradas, foguetadas... Esses bastardos que não representam toda a torcida do Araçatuba, nem mesmo a Piratas Canarinhos (com o grande presidente Marcelo Bianchi), ainda tiveram a coragem de atacar toda a comissão técnica e diretiva do Bandeirante na entrada do estádio e chamar a gente de "valentões". Revoltante, simplesmente revoltante. Esses caras tinha que sair do estádio de camburão e ir pra delegacia. Felizmente ninguém do Bandeirante saiu ferido.

Esse ataque covarde ao ônibus mexeu com os brios dos jogadores do Bandeirante que entraram em campo para responder ao problema, só que dessa vez sendo na bola como tem que ser as coisas. Já que tem muita coisa pra contar, vamos já direto ao jogo. 

O Araçatuba tomou a iniciativa nos primeiros minutos, empurrou o Bandeirante pra linha de defesa e conseguiu um pênalti "contestável" aos cinco minutos quando o Iury derruba sem muita força um jogador da AEA dentro da área. Alisson foi pra bola, bateu e o nosso grande Barbato com a pontinha dos dedos defendeu o pênalti e salvou o Bandeirante de tomar o primeiro gol da partida. Admito que esse foi o lance mais capital e mais decisivo da partida. Se o Barbato não faz essa defesa, nada do que passaria depois teria acontecido.

Até os 18 minutos, só dava Araçatuba com algumas poucas chegadas do Bandeirante. Nesse momento, saída de bola errada do Canarinho que Tatá aproveitou, cortou dois jogadores rivais e fuzilou o canto esquerdo do goleiro Celso. Mais um golaço desse jovem biriguiense que só nos dá orgulho. O gol desestabilizou o AEA que começou a apelar pra violência e até fechou o tempo enquanto o Bandeirante tava na dele e só apostando na marcação alta. Alguns minutos depois em mais uma chegada de Tatá, um dos jogadores do Araçatuba deu um empurrão claro no camisa 7 bandeirantino. Pênalti claríssimo que o árbitro ignorou.

Porém aos 30 minutos, num lançamento de escanteio, o mesmo Alisson que perdeu o pênalti no ínicio do jogo agride um jogador do Bandeirante na pequena área e aí o juiz não ignorou o incidente, marcou o pênalti pro Leão da Noroeste. Ainda o Alisson foi expulso de forma direta. O centroavante Flávio foi pra cobrança, o chute ainda bateu nas mãos do goleiro Celso e entrou. Dois a zero BEC.

A partir daí, o Bandeirante ficou soberano no jogo. Aos 36 minutos, bola de Gabriel Rapchan pra Iury cujo mesmo ganha de um rival pra alcançar a redonda, avança, passa a bola na medida pra Flávio dar um chute cruzado no canto esquerdo de Celso. Três a zero e Flávio já tinha marcado o seu segundo gol na partida. Assim como no jogo contra o Andradina em Birigui, o Bandeirante praticamente matou o jogo no primeiro tempo. E o detalhe é que o melhor ainda estava por vir.

Na volta do intervalo, aí você estaria pensando que o BEC iria administrar o resultado igual fez contra o Andradina na Pedronera, certo? Errado. Depois do apito inicial do segundo tempo, o que viria a seguir seria um completo massacre bandeirantino em Araçatuba que ficaria para a história. Com os problemas do pré-jogo ainda na memória, o Bandeirante virou um rolo compressor imparável e imbatível que foi pisoteando em cima de qualquer restinho de dignidade que ainda restava no AEA.

Logo aos 9 minutos, uma bobeira gigantesca da defesa araçatubense (principalmente do zagueiro Pedro) deixou Mendes frente a frente com o goleiro Celso. O camisa 10 bandeirantino teve frieza pra bater no canto direito da meta local e meter 4 a 0 no placar. Passava mais de meia hora de jogo e o Araçatuba não conseguia nem ao menos recuperar o fôlego quando Fábio Júnior engatou uma quinta marcha pela esquerda, avançou até a área, passou pra João Vitor que dessa vez não perdeu a chance que lhe foi recebida, mandou chute rasteiro no canto esquerdo de Celso. Não perca a conta, já está 5 a 0.

O céu parecia que sabia que esse seria um dia especial, tanto que São Pedro lá do céu mandou uma chuva que fez o jogo ficar mais molhado (perdão o trocadilho) graças aos gols do Bandeirante. Nesse momento o Bandeirante tava devolvendo aquele 5 a 0 que a AEA fez na Série A2 do Paulistão de 1991, porém aos 38 minutos, uma troca de passes inteligente do BEC fez a bola chegar em Kitinho que lançou curtamente a bola pra Agnaldo desviar no canto esquerdo da meta araçatubense. Seis a zero, a partir daí o Bandeirante já tinha a maior goleada da história do clássico. Nem o cara que cuidava do placar queria mais saber do jogo.

No entanto, logo no lance seguinte veio o tiro de misericórdia. Escanteio curto com bola dada a Agnaldo, o camisa 17 cruzou na área, ninguém chegava pra tirar até que Léo Cruz, o último homem do cruzamento, desviou a bola pra marcar o sétimo tento da partida. Isso mesmo que você está vendo e lendo. Bandeirante SETE, Araçatuba zero. Nem o mais pessimista dos torcedores do AEA e muito menos o mais otimista dos bandeirantinos poderia acreditar no que tava acontecendo naquela tarde de 14 de novembro de 2020. O carinha do placar nem quis mais tirar os números, botou logo o 7 em cima do 5 e ficou meio que 75 a 0 (mas era mesmo 7 a 0). 

Já nem precisava ter mais jogo. A maior e mais humilhante derrota da história da Associação Esportiva Araçatuba em quase 50 anos de vida. Não existe algo pior que ser humilhado pelo seu maior e mais odiado rival, principalmente tomando em casa uma goleada humilhante com requintes de crueldade como esse 7 a 0 que vai ter seqüelas enormes e históricas para o Araçatuba que vai ter que repensar muito os seus projetos para o futuro se quiser voltar a ser um time respeitado. Já o Bandeirante depois dessa vitória histórica, continua na busca pelo primeiro lugar no geral e só precisa de um empate contra o América de Rio Preto na Pedronera pra garantir a liderança na soma de todos os grupos pelo saldo de gols (já que a Francana tá um ponto a frente mas já completou seus oito jogos e o São José perdeu pro Manthiqueira nessa rodada).

Hoje, agora e sempre, há de comemorar por muitos e muitos anos essa goleada histórica com o máximo de respeito ao Araçatuba e na quarta, bora trabalhar porquê tem mais um compromisso contra o Diabo Rubro de São José do Rio Preto. Somos rivais mas nunca inimigos.

Pra cima deles Leão! Mais do que nunca, Avante Bandeirante!


- Historial atualizado do Dérbi Noroestino

Jogos: 23 (se não contar os duelos da Série A2 em 1982 e 1983) ou 27 (se contar os duelos da Série A2 em 1982 e 1983). 

Bandeirante: 12 Vitórias 
Araçatuba: 6 Vitórias 
Empates: 5 Empates  

Jogos em questão: 

Copa Paulista (na época Copa Bandeirantes)

1999 - Bandeirante 2-2 Araçatuba/Araçatuba 2-1 Bandeirante

Série A2

1982 - existiu, mas incompleto

1983 - existiu, mas incompleto

1985 - Bandeirante 3-0 Araçatuba/Araçatuba 0-0 Bandeirante

1986 - Araçatuba 0-2 Bandeirante/Bandeirante 1-0 Araçatuba

1990 - Araçatuba 1-1 Bandeirante/Bandeirante 1-3 Araçatuba

1991 - Araçatuba 5-0 Bandeirante/Bandeirante 0-0 Araçatuba

2002 - Araçatuba 0-2 Bandeirante

2004 - Bandeirante 3-0 Araçatuba/Araçatuba 0-1 Bandeirante

2005 - Bandeirante 2-1 Araçatuba/Araçatuba 0-0 Bandeirante

2006 - Araçatuba 2-5 Bandeirante/Bandeirante 5-2 Araçatuba

Série A3

Nunca se enfrentaram.

Paulistão Sub-23/Segunda Divisão

2013 - Araçatuba 2-1 Bandeirante/Bandeirante 1-3 Araçatuba

2016 - Bandeirante 1-4 Araçatuba/Araçatuba 3-4 Bandeirante

2020 - Bandeirante 2-0 Araçatuba/Araçatuba 0-7 Bandeirante*

*A maior goleada da história do Dérbi Noroestino.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivos para achar que Bandeirante x Penapolense é um clássico maior do que muitos acreditam não ser.

Caiu o invicto! Bandeirante joga mal, perde a primeira no ano em Osvaldo Cruz e vai pro "tudo ou nada" na Pedronera quarta!

Não tá morto quem peleia! Bandeirante joga mal, perde pro Grêmio Prudente no Prudentão e outra vez apostará na Pedronera para conseguir o acesso!