O primeiro ano da reestruturação e da ressurreição acabou. E agora? O que vai ser de mim, do Bandeirante e desse blog?


Primeiramente eu quero pedir desculpas por demorar demais para fazer o texto, tanto que não deu tempo de falar do segundo jogo da final, mas vocês já devem estar carecas de saber como terminou. Não vou ficar relatando o que aconteceu no jogo em São José dos Campos. Afinal, o que mais importava (que era o acesso) foi conquistado e a decisão era só um mero detalhe tanto pra nós quanto para o São José.

Bom... E o que o futuro proporciona para mim, pro Bandeirante e pro Crônicas Bandeirantinas?

O Bandeirante como todos sabem, vai jogar o Paulistão A3 em 2021 ao lado do São José. Esse campeonato promete ser uma das A3 mais competitivas dos últimos anos e uma das maiores e melhores edições do terceiro nível do futebol paulista da história. Logo de cara, temos o "Noroestão com grife" (apelidado por mim). Teremos OITO das 15 equipes contando o BEC (literalmente metade do campeonato todo) próximas e separadas num raio de quase 200 quilômetros da Pedronera. 

Se em 2020 na Bezinha tivemos o Dérbi Noroestino entre Bandeirante e Araçatuba, em 2021 na A3 teremos o "Clássico das Feras" entre Bandeirante e Penapolense que caiu da A2 nesse ano, no qual não era disputado desde 2009 (justamente o ano em que o BEC jogou a A3 pela última vez até agora). Eu chamo de "Clássico das Feras" porquê temos o Leão da Noroeste do Bandeirante de um lado contra a Pantera da Noroeste do Penapolense no outro lado. E a distância entre Birigui e Penápolis é bem curta, apenas 40 quilômetros.

Na região de Rio Preto, temos o CA Votuporanguense (Votuporanga, 111 km) que embora foi rebaixado na A2 junto com o Penapolense, tem talvez um das estruturas mais fortes da A3 com a Arena Plínio Marin e que o Bandeirante enfrentou esse ano em um amistoso, o Rio Preto (S.J. do Rio Preto, 141 km) que está tentando se reestruturar após ter brigado pra não cair na A3 desse ano e o Olímpia (Olímpia, 198 km) que é uma incógnita pra 2021 por causa do escândalo de manipulação de resultados envolvendo ele, Barretos (Barretos, 245 km) que também será uma incógnita e o Paulista de Jundiaí cujo acabou sendo rebaixado de volta para a Bezinha depois ter saído dela em 2019.

Entretanto, os maiores adversários do BEC nessa parte do campeonato serão os três grandes da região de Bauru (são quatro com o XV de Jaú, mas esse continuará na Bezinha graças ao Bandeirante). O Linense (Lins, 83 km) que após vários anos na A1 sofreu um duplo rebaixamento em três anos assim como o Penapolense e é o adversário regional que tá a mais tempo sem enfrentar o Bandeirante (desde 1986 na Série A2 que o Bandeirante foi campeão, me corrijam se eu estiver errado). O Marília de Guilherme Alves (Marília, 151 km) que deve entrar como favorito na A3 graças a surpreendente campanha na Copa Paulista no qual acabou chegando na grande decisão mas perdeu pra Portuguesa e como consolo, vai jogar a Copa do Brasil pela primeira vez na sua história em 2021. E por fim, um velho conhecido de inúmeras batalhas e jogos épicos tanto deles quanto dos bandeirantinos, o Noroeste (Bauru, 188 km), que vem machucado e "mordido" para 2021 porquê bateu na trave do jogo do acesso pra A2 esse ano contra o Velo Clube de Rio Claro após dominar o campeonato todo e ser a melhor campanha da primeira fase (o Norusca dominou a primeira fase inteira, até mesmo depois quando parou por causa da pandemia e voltou). 

Além desses oito times desse raio que eu disse, ainda teremos na A3 de 2021 camisas pesadíssimas como o Comercial de Ribeirão Preto (outro velho conhecido nosso), Nacional da capital (mais um velho conhecido nosso), Batatais, Capivariano, Primavera de Indaiatuba e o São José que subiu junto com a gente na Bezinha. Também temos que ficar de olho no forte Desportivo Brasil de Porto Feliz que apesar de ser um dos times mais novos do estado, esbanja uma estrutura de primeiro mundo e segue com o mesmo grupo gestor que comanda um dos times mais fortes da China, o Shandong Luneng. 

Com tudo isso, já vou colar para o próximo tema que é: o que vai acontecer comigo em 2021 e com esse blog que vocês estão lendo? 

Bem, como vocês ficaram sabendo nas últimas semanas durante a reta final do acesso da Bezinha, acabei virando o assessor de imprensa do Bandeirante graças ao presidente Ademir Wellington de Oliveira (no qual eu agradeço muito) que viu potencial no meu trabalho graças ao Crônicas Bandeirantinas. Ou seja, agora eu tenho essa faca de dois gumes na minha mão. Por um lado, é ótimo porquê estou conseguindo ganhar muita experiência como jornalista profissional e trabalhando de verdade. Por outro lado como vocês estão percebendo, eu não estou conseguindo arranjar tempo pra postar aqui nesse blog. E talvez quando a A3 começar, é capaz de eu viajar pra essas cidades mais próximas de Birigui (Penápolis, Votuporanga, Rio Preto, Olímpia, Lins, Marília e Bauru), o que pode me deixar com menos tempo ainda pra fazer a matéria do Crônicas. Ou seja, vai ser aquela coisa. Eu só vou conseguir fazer postagens quando der e onde puder. Não estranhem se eu não postar ou demorar pra postar no blog, a agenda vai ficar muito cheia a partir de março quando começa a A3 de verdade.

Muito bem, estamos quase no fim de 2020 e eu quero mandar vários agradecimentos.

- Primeiro eu quero agradecer (novamente) ao presidente Ademir Wellington de Oliveira (Bizi) por ter me dado essa grande chance de eu mostrar meu trabalho pro Bandeirante e agradecer por ele ter trazido de volta o nosso Leão da Noroeste que agora ressuscitamos como a Fênix e vamos brigar pra voltar pra aonde nunca tínhamos que ter saído. Também vou agradecer ao irmão dele Dimas, a família Secato (Sueli e o Vitor Secato) e os filhos do Ademir, principalmente o Guilherme que sempre está em contato comigo e que faz de tudo pra me ajudar e ajudar o Leão da Noroeste.

- Agradeço também aos jogadores (todos os jogadores mesmo, sem esquecer ninguém), a comissão técnica (André Alves, Selmo Martins, Reginaldo, Rodrigo Deião, Andrezinho e companhia) e a comissão diretiva (Fernando Reato, Fábio Napoleão, Rogério "Paredão", Kajuru Castilho e o grande Jansen Júnior) por terem trabalhado duro um ano inteiro pra conseguir esse histórico acesso e não importa o que acontecer no futuro, vocês já estão na história por terem resgatado o Bandeirante de volta.

- Agradeço também ao pessoal da TV/Rádio BEC por terem me ajudado a chegar nesse momento não só como torcedor mas como profissional do Jornalismo. Meu grande amigo e colega de faculdade Murilo Magrini, a lenda Carlos Alberto Teixeira, os craques Lincom Pires e André Liranço, o produtor Rafael Cícero, Artur da Oi Mania e o grande José Carlos Ignez que manja das imagens e do arquivo histórico.

- Agradeço também as mídias que cobrem o futebol do Interior e que acompanharam muito bem o BEC nesse ano junto comigo. Última Divisão com o quarteto Allan Brito, Diego "Frango" Freire, Júlio Simões, Igor Nishikiori e os grandes Emanuel Colombari e Gulherme Bucalon, Escanteio SP, Corneta Caipira, Blog e Vlog As Mil Camisas do Mauricio Noznica de Santo André (descanse em paz, amigo Marcelo Belotti!), Futebol Alternativo TV, Rafael Zocco de Araraquara, Douglas Willian de Jaú, Guilherme Gomes de Guarulhos, Eduardo Gouvea de Sorocaba que tem o seu canal próprio no Youtube, o (outro) grande Ubiratan Leal da ESPN e (mais um) grande, o Allan Simon de São Caetano do Sul que faz matéria pro UOL. Estamos juntos pelo bem do futebol paulista e do Interior, pessoal!

- Agradeço a Paulo Henrique Ulian, um dos membros mais ativos da organizada Leões da Vila e que também se tornou um cara muito importante na minha passagem não só no Bandeirante como nesse blog.

- Agradeço aos meus pais, Antônio Bruno Miotto Júnior e Maria Cristina Natal Miotto que sempre confiaram e confiam em mim, e que todo dia a gente batalha pra não deixar a peteca cair na minha relação torcedor e jornalista do Bandeirante. Também vale o agradecimento a várias partes da família como os Beltran (tio Ilton, tia Lúcia, primos Tatiane e Nilton, além do mecânico Thaylon) que me ajudaram também a chegar aqui.

- E principalmente, agradeço a cada um dos 123 mil biriguienses e milhares de bandeirantinos separados pelo estado, pelo Brasil e pelo mundo por terem conhecido o meu trabalho, que seguem meu trabalho e que ano que vem eu insisto para que continuem acompanhando e seguindo o meu trabalho não importa em que lugar, seja no Crônicas ou em transmissões de rádio ou vídeo e TV ou nas mídias sociais (Facebook, Twitter e Instagram). Se eu esqueci de alguém aqui, agradeço de qualquer jeito.

Da parte de Bruno Miotto, curador/administrador do Crônicas Bandeirantinas e agora assessor de imprensa do Bandeirante Esporte Clube de Birigui, desejo a todos um bom final de Dezembro e nos vemos no ano que vem.

Feliz 2021 para todos! Avante Bandeirante!

Comentários

  1. Filho que você seja muito feliz!!!Te amo♥️

    ResponderExcluir
  2. a empresa de empréstimo que me concede empréstimo de 5.000.000,00 USD Quando outros investidores de empréstimo negligenciaram minha oferta mas o Sr. Benjamin Lee me concedeu empréstimo de sucesso. eles estão envolvidos diretamente no financiamento de empréstimos e projetos em termos de investimento. eles fornecem soluções de financiamento para empresas e indivíduos que buscam acesso aos fundos do mercado de capitais, eles podem ajudá-lo a financiar seu projeto ou expandir seu negócio. Contato por e-mail:::: Também 247officedept@gmail.com ou Escreva no Whatsapp Number em +1-(989-394-3740)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivos para achar que Bandeirante x Penapolense é um clássico maior do que muitos acreditam não ser.

Caiu o invicto! Bandeirante joga mal, perde a primeira no ano em Osvaldo Cruz e vai pro "tudo ou nada" na Pedronera quarta!

Não tá morto quem peleia! Bandeirante joga mal, perde pro Grêmio Prudente no Prudentão e outra vez apostará na Pedronera para conseguir o acesso!