A espera de uma novidade! Bandeirante vence Capivariano, mas campeonato parou por algumas semanas por causa do COVID!

 


A semana do jogo entre Bandeirante e Capivariano começou com muita angústia. O governo estadual declarou a paralisação de todos os campeonatos de futebol por causa das fases vermelha e roxa da pandemia. A A1 parou, a A2 parou e a A3 obviamente teria que parar. No entanto, autorizaram que tivesse uma última rodada antes da paralisação, essa rodada em que os Leões da Noroeste e da Sorocabana se enfrentaram na Pedronera.

O Bandeirante estava desesperado para conseguir uma vitória já que não tinha ainda conquistado um ponto sequer e estava na lanterna após as derrotas para Noroeste e Linense. Já o Capivariano tinha já conquistado um ponto e vinha com uma carta na manga. O experiente meia Correa que fez carreira principalmente no Palmeiras vinha para enfrentar o Bandeirante com a sua famosa bola aérea. 

A escalação do técnico Márcio Ribeiro teve Henal, Iury, Lucas Bahia, Gabriel Bahia (fazendo sua estréia na Série A3) e Paulão. Thiago César, Rapchan, Norton e Rafael Sayão. Thales e Chico. O jogo começou com o Bandeirante tomando as iniciativas, pressionando o Leão da Sorocabana desde o início e aos 12 minutos do primeiro tempo, Chico aproveitou a falha da defesa adversária e chutou a bola no canto direito do goleiro Moisés. Um a zero Bandeirante. 

A partir daí, o Bandeirante tentou ser mais cauteloso e jogar no erro do Capivariano. Mas acabou dando muito espaço e o time de Capivari quase empatou o jogo. Quase no finalzinho do primeiro tempo, o Leão da Sorocabana teve duas chances claras de gol. Uma com Juan Santos que a bola bateu na trave e a segunda com Neto Alexandre que após um bate rebate, chutou, o goleiro bandeirantino Henal salvou e logo depois o zagueiro Paulão tirou a bola a centímetros da linha do gol. Ali o torcedor do BEC deu graças a Deus que a bola não entrou. Se tivesse entrado, a história do jogo seria bem diferente.

No segundo tempo, continuou a mesma intensidade do primeiro. Mas acho que o jogo ficou tão intenso que os nervos de todo mundo ficaram a flor da pele e aí começou a aparecer a arbitragem que passou a aparecer mais que os jogadores. Aos 20 minutos, Neto Costa apareceu forte na área do Bandeirante porém Henal de novo segurou a bola e não deu segunda chance pro resto. O técnico Márcio Ribeiro parece que "ouviu" as reações da torcida e botou a molecada que tinha jogado bem contra o Linense

Com as entradas de Tatá, Fábio Júnior e Welbinho, o BEC pressionou tanto o Capivariano que conseguiu uma expulsão do time adversário quando o zagueiro Fatel (ou o Jemmes) derrubou o Chico antes da pequena área e era o último homem da defesa. Com um a menos, o BEC teve mais tranquilidade para matar o jogo. Aos 44 minutos, Tatá recebeu a bola, correu pela diagonal, encontrou Welbinho que provou que tem estrela. O jogador de Brejo Alegre chutou na saída de Moisés e fechou a primeira vitória do Bandeirante no campeonato. 

Após essa vitória, o BEC saiu da lanterna e foi para o nono lugar enquanto que o Capivariano como ainda não venceu no campeonato, caiu para a penúltima colocação ao lado do lanterna Penapolense. A nossa próxima partida era pra ser no sábado (20) contra o Rio Preto. É, era pra ser.

Como eu disse no início, no dia depois dessa rodada em que os times de Birigui e Capivari se enfrentaram o governo estadual baixou o decreto que impedia qualquer jogo de qualquer campeonato dentro do Estado de São Paulo. Era pra ter voltado no dia 1 de Abril (não, não era mentira não), mas o Ministério Público acabou prorrogando essa data. Todos os campeonatos foram atingidos, a Série A1 inclusive teve que se desdobrar pra mandar alguns jogos fora do estado como por exemplo os jogos de Palmeiras e Corinthians em Volta Redonda-RJ (a FPF inclusive deu dez leitos hospitalares para a prefeitura de Volta Redonda para que os jogos acontecessem). 

Mas os casos mais graves aconteceram com a Copa do Brasil que teve um jogo do Corinthians também no Rio de Janeiro, teve Mirassol x Red Bull Bragantino jogando em Cariacica-ES e o Marília (adversário do Bandeirante na A3 daqui quatro rodadas) que antes tava marcado para jogar contra o Criciúma em Marília, foi remarcado para Varginha-MG e depois foi re-remarcado para Cariacica-ES devido a também proibição de jogos de times de outros estados em Minas Gerais. Pra piorar, o Marília mesmo sendo eliminado voltou de Cariacica com 16 casos de COVID (isso mesmo, DEZESSEIS) por causa dessa desorganização que foi essas mudanças repentinas.

Pelo menos, o Bandeirante está treinando, seguindo e respeitando o protocolo da FPF. A tendência é que o futebol em todo estado volte no dia 12 de abril (segunda-feira), um dia depois da data-limite da paralisação. A FPF quer voltar, o governo quer voltar, mas tudo está nas mãos do Ministério Público, não tem mais como parar o campeonato. Se parar mais, muitos clubes quebram (inclusive o Bandeirante).

Por isso teve tanta demora em ter o jogo contra o Rio Preto, mas ele deve ser remarcado para essa segunda (12) à tarde no Estádio Anísio Haddad em São José do Rio Preto. Agora sim pra valer e nos vemos então (senão tiver mais uma paralisação) no jogo contra o Desportivo Brasil na Pedronera.

Pra cima deles, Leão! Avante Bandeirante!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivos para achar que Bandeirante x Penapolense é um clássico maior do que muitos acreditam não ser.

Caiu o invicto! Bandeirante joga mal, perde a primeira no ano em Osvaldo Cruz e vai pro "tudo ou nada" na Pedronera quarta!

Alívio! Bandeirante arranca empate heroico em Jaú e à custa de outro empate na quarta pode eliminar o Galo da Comarca!